16/05/2019

6 dicas para fazer cotação de seguro residencial e economizar

Os imprevistos rondam as nossas vidas o tempo todo e podem nos surpreender a qualquer momento. Nesse sentido, as residências são um dos itens que merecem a maior atenção. Felizmente, existe uma maneira bem eficaz de proteger o nosso adorado lar: contratar um ótimo seguro. Para isso, é essencial saber como fazer cotação de um seguro residencial.

Dessa forma, é possível economizar ainda mais na contratação de uma das modalidades de seguros mais importantes. Mas o que levar em consideração antes de contratar um seguro tão essencial como esse? É justamente isso o que nós abordaremos na sequência.

Não deixe de ler essas 6 dicas antes de contratar um seguro residencial! Boa leitura!

1. Pesquise sobre a corretora de seguros

Antes de mais nada, lembre-se que uma boa cotação depende de uma lista de opções. Então, é necessário efetuar uma pesquisa e listar quais seriam as seguradoras que demonstram maior credibilidade no mercado.

Observe que você jamais deve confiar totalmente nas informações fornecidas via internet nos sites das corretoras. Evidentemente, esses locais serão repletos de aspectos positivos.

O primeiro passo a ser tomado é a confirmação do registro da corretora de seguros com a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados). Se não houver esse vínculo, você já pode descartar a seguradora.

Isso porque a SUSEP é a entidade incumbida da tarefa de fiscalizar o mercado de seguros no Brasil. O referido credenciamento garante uma série de procedimentos a serem cumpridos pela corretora em questão. Um excelente exemplo é o pagamento de indenizações com prazo máximo de 30 dias — a contar da realização do sinistro.

Em seguida, é preciso ir além, direcionando a pesquisa para os sites de reclamações, como o Reclame Aqui. Quanto mais você ampliar a verificação sobre a corretora de seguros, mais completo será o conjunto de informações adquiridos sobre ela.

2. Verifique as coberturas oferecidas

Uma vez que você tenha refinado a lista das possíveis seguradoras, é necessário comparar as coberturas oferecidas. Essa parte do processo é uma das mais relevantes.

Afinal, de nada adianta contratar um seguro residencial mais em conta se o produto não garantir a proteção ideal para você. Caso os elementos de cobertura sejam limitados, você corre o risco de arcar com um prejuízo. Mas, fique tranquilo, pois é fácil evitar esse tipo de problema.

Basta elencar os itens essenciais de um seguro residencial. Leve em conta que uma residência apresenta um valor inestimável. Assim, pense em uma cobertura bem abrangente, a qual proteja a sua residência contra:

  • incêndios;
  • explosão ou incidência de raios sobre o imóvel;
  • danos apresentados pela rede elétrica — nesse caso, uma equipe técnica é designada para solucionar quaisquer problemas identificados na rede elétrica. Além disso, os aparelhos eletrônicos danificados devido a problemas na distribuição de energia também são repostos via seguro;
  • furto ou roubo — está relacionado aos bens contidos no interior do imóvel segurado. Contudo, se a residência estiver localizada em um condomínio com rígido controle de segurança, talvez esse item possa ser retirado do seguro;
  • quebra de vidros — esse item se relaciona a qualquer dano exibido pela estrutura da residência composta de vidro. Exemplos: uma porta de vidro que dá acesso à varanda e o próprio box do banheiro;
  • responsabilidade civil familiar — caso algum morador da residência cause prejuízo a um terceiro, o valor de indenização a ser pago será coberto pelo seguro. Observe que há um teto para os valores indenizatórios, conforme constar em contrato;
  • assistência geral 24 horas — esse item é um dos mais importantes, já que cobre qualquer reparo de urgência, como problemas nas redes hidráulica e elétrica. A assistência também cobre os serviços de chaveiro.

3. Analise o que realmente é necessário

Como básico, de fato, normalmente, estão as coberturas contra incêndio, incidência de raios e explosão do imóvel. Somem-se a elas as proteções contra furto ou roubo, assistência 24 horas para manutenções específicas e os reparos elétricos.

Você pode, no entanto, incrementar ainda mais o seguro da sua residência. De acordo com as particularidades ligadas a elas, talvez seja aconselhável incluir proteção contra alagamentos e até vendaval. Evidentemente, a contratação desses itens depende de uma avaliação minuciosa.

Ao lado de uma corretora de seguros com alta reputação no mercado, você não precisará se preocupar. Isso porque a empresa estará dedicada a apresentar uma solução que contemple as reais necessidades da sua residência.

4. Faça várias simulações

Para que haja uma comparação efetiva entre os valores e os produtos oferecidos por seguradora, é necessário simular. O processo também precisa considerar a inclusão ou não dos itens adicionais do seguro.

Então, o ideal é que você simule o preço total do seguro com base em diferentes configurações e em corretoras distintas. Você pode, por exemplo, classificar o seguro mais básico como “seguro 1” e cotar os valores.

Para seguros mais completos, basta atribuir outras numerações, como “seguro 2” e assim por diante. Ao término desse processo, você terá uma visão bem mais ampla sobre as diferentes coberturas disponíveis e os valores oferecidos pelas seguradoras.

5. Negocie os valores

Por melhor que pareça a oferta, sempre é possível negociar. Com base nas simulações anteriores, você terá uma boa base argumentativa na hora de questionar qualquer valor.

É importante destacar, entretanto, que o valor de avaliação relacionado ao seguro é embasado no montante necessário para a reconstrução do imóvel. Não confunda essa avaliação com aquela que aponta qual é o valor atual da residência no mercado.

6. Entenda bem o contrato

Nessa hora, é importante avaliar atentamente todos os itens. Os pontos principais são:

  • coberturas solicitadas;
  • valores indenizatórios e prazo limite para pagamento.

Com isso, você saberá exatamente o que poderá ser questionado posteriormente, se necessário. Além disso, é importante esclarecer todas as eventuais dúvidas sobre qualquer item contratual. Jamais assine o contrato se alguma informação estiver confusa.

A sua segurança e da sua família não têm preço. E ainda vale frisar que o seguro de residências é um dos mais baratos do mercado, com uma média de apenas R$280 por ano.

Ao seguir estas 6 dicas, você estará muito mais preparado para fazer uma cotação de seguro residencial. Elas compreendem aqueles pontos que não podem faltar antes de escolher a melhor corretora de seguros para proteger o seu patrimônio.

Por falar nisso, nós oferecemos um seguro residencial que se encaixa perfeitamente nas suas necessidades. Entre em contato conosco e faça uma cotação com um de nossos corretores especialistas no assunto!

,