26/12/2018

As férias dos sonhos: guia preparatório para viajar com a família

Explorar o mundo em uma viagem de férias proporciona um estado de plenitude difícil de descrever. As experiências vivenciadas em uma jornada enriquecem muito, além de garantir sossego e momentos de relaxamento.

O cenário fica perfeito, então, quando a viagem é feita com pessoas amadas. Contudo, o planejamento de uma aventura em grupo demanda muita pesquisa e preparação para que tudo corra bem. Detalhes como a escolha do destino, a aquisição das passagens aéreas, a reserva da hospedagem e a seleção dos passeios determinam o sucesso das férias.

Está se organizando para viajar com a família? Neste guia, você confere dicas incríveis para curtir as melhores férias de todos os tempos. Acompanhe!

Como decidir o melhor destino para viajar com a família?

Quando as férias já estão no horizonte, chega a hora de sentar com o seu pessoal para escolher o destino dessa grande aventura familiar. Como cada um tem os seus gostos, vontades e expectativas, é necessário definir um lugar que atenda a todos.

Nesse momento, o ideal é reunir a família e conversar sobre as possibilidades. Um dos membros do grupo deve pré-selecionar até cinco destinos e fazer uma pesquisa sobre as atrações de cada um, para depois apresentar os prós e os contras deles. Também é indicado mostrar estimativas de valores para cada viagem, condições que serão encontradas e qual é a melhor forma de chegar até lá.

O importante é ouvir todas as opiniões de maneira respeitosa, argumentando com fatos que colaborem para as férias serem incríveis. Por exemplo: "vamos escolher por um resort em uma praia do Nordeste, porque teremos uma ótima infraestrutura, com opções de lazer para as crianças, os adultos e o pessoal com mais idade. A região é de fácil acesso, com aeroportos próximos e lugares paradisíacos".

Depois de toda a família opinar sobre os lugares sugeridos, façam uma votação simples para eleger o destino. O importante é formar um consenso para que cada pessoa sinta o prazer de embarcar nas férias. Afinal, não existe um local ruim para quem ama viajar, não é mesmo?

Como planejar uma viagem em família?

Com um destino definido, começa a parte da organização da viagem de férias. Esses cuidados pré-embarque são fundamentais para a sua família ter uma jornada segura, tranquila e muito divertida, uma vez que a falta de planejamento pode fazer com que vocês caiam nas famosas "roubadas", quando tudo o que ocorre durante os passeios não sai conforme o imaginado.

Para evitar problemas e garantir que vocês vão curtir todos os momentos juntos, cabe ao responsável pela organização do roteiro antecipar cada um dos passos a serem tomados. A seguir, vamos falar sobre as etapas a serem cumpridas antes de viajar.

Confira a documentação obrigatória

Não importa para onde a viagem será, todos os passageiros que vão embarcar devem apresentar um documento de identificação, que varia conforme o destino. Vale reforçar que a ausência dessas documentações impede que o viajante siga para as suas férias, causando prejuízos financeiros e estragando os planos da família.

No caso de jornadas dentro do território brasileiro, é preciso portar um dos seguintes documentos com foto recente:

  • RG (com a emissão de uma Secretaria de Segurança Pública);
  • CNH ou CNH-e;
  • Passaporte;
  • Carteira de Trabalho;
  • Carteira Funcional (policiais, militares, parlamentares e outros membros de serviços públicos);
  • e-Título (o passageiro deve ter feito a biometria em um cartório eleitoral).

Quando o grupo tiver menores de idade, além da documentação de identificação, eles devem estar na companhia de um responsável (pais e responsáveis legais). Caso o acompanhante dos pequenos seja um familiar (avós ou tios, por exemplo), essa pessoa precisa apresentar um documento que comprove a relação de parentesco. Menores desacompanhados são proibidos de viajar com estranhos, a não ser que esse responsável tenha uma autorização extrajudicial firmada pelos pais.

Em viagens internacionais, todos os passageiros devem portar um dos seguintes documentos com foto recente e validade dentro da vigência:

  • Passaporte;
  • Passaporte Diplomático;
  • RG (apenas para viagens na América do Sul. Saiba mais abaixo);
  • visto de turista ou visto de trânsito (para países que fazem essa exigência)

Alguns países aceitam apenas documentos que tenham o prazo de expiração maior do que 6 meses, além de exigirem visto de entrada para turistas. Enquanto para visitar algumas nações é necessário solicitar com antecedência um visto de entrada (Estados Unidos, Japão e Austrália, por exemplo), outras concedem essas permissões no momento do desembarque (países da União Europeia). Fique atento e confira as regras com a representação diplomática de cada país que está no roteiro da família.

Essas questões burocráticas, como tirar um novo passaporte e obter o visto de entrada no estrangeiro, podem ser demoradas por uma série de fatores. Sendo assim, a recomendação é antecipar as solicitações com, ao menos, quatro meses antes do embarque. Esse tempo é fundamental para ter a certeza de que tudo estará pronto, mesmo que existam imprevistos no caminho.

Os menores de idade que vão partir nas férias para outro país, além do passaporte, precisam também estar na companhia dos pais. Caso a jornada tenha apenas a presença de um dos genitores, a outra parte deve conceder uma autorização firmada em cartório. A Polícia Federal tem este manual completo de como agir em viagens com crianças e adolescentes. Confira cada possibilidade e tenha certeza de que todos vão poder embarcar.

Devido a um acordo entre o Brasil e os nossos vizinhos da América do Sul, os brasileiros podem visitar nove países do subcontinente sem precisar de um passaporte. Basta apresentar o RG (com emissão inferior a 10 anos) na imigração, que a entrada por um período de 90 dias é autorizada de forma imediata.

Estas são as nações em que o documento de identidade do nosso país é aceito:

  • Argentina;
  • Bolívia;
  • Chile;
  • Colômbia;
  • Equador;
  • Paraguai;
  • Peru;
  • Uruguai;
  • Venezuela.

Faça uma planilha de custos

Claro que viajar é uma delícia, contudo, para que as férias sejam um sucesso, é fundamental ter muita atenção com os custos dessa aventura. Gastos com passagens aéreas, hospedagens, transporte, passeios e alimentação devem ser estimados para que todos do grupo tenham uma noção de quanto vão precisar desembolsar.

Depois de pesquisar no mercado de turismo, indique os preços que são praticados, o que eles oferecem e quais são as condições de pagamentos. Enquanto alguns itens podem ter o pagamento parcelado (bilhetes aéreos, hospedagens e aluguel de carros), outros demandam quitação imediata. Quando a escolha for por dividir os valores em vários meses, tenha sempre a atenção para escolher por serviços que não cobrem juros abusivos.

Em viagens para o exterior, as cotações das moedas, como o Dólar americano e o Euro, variam todos os dias. Então, a sugestão é que a planilha use um valor médio na apresentação desses custos, sempre fazendo a atualização em casos de mudanças bruscas no preço.

Para estimar quanto cada pessoa gasta em um determinado destino, utilize ferramentas disponíveis na internet. É possível encontrar sites e blogs na rede que informam os custos para conhecer milhares de atrações mundo afora. Busque as experiências de outros viajantes, como amigos e parentes, que podem fornecer dados importantes para a sua viagem.

Quando a família for embarcar, todos os responsáveis pelos pagamentos devem saber exatamente quanto vai custar a empreitada, quais são as condições de pagamento e quanto de orçamento existe à disposição para a viagem. Esse controle é fundamental para impedir que os viajantes voltem das férias com dívidas, em principal no cartão de crédito, que cobra juros muito altos.

O que considerar ao decidir a hospedagem?

Existem centenas de perfis de viajantes, que esperam de cada aventura momentos relaxantes, de união com a família e histórias para contar para sempre. No entanto, a escolha de uma hospedagem confortável, segura, de fácil acesso e que tenha serviços de lazer para todos é indispensável para o êxito das férias.

Como existem milhares de possibilidades para selecionar um hotel, hoje em dia os clubes de turismo oferecem uma solução bastante prática e que acaba sendo muito econômica. Esses serviços mantêm acordos com redes de hotéis de luxo, companhias aéreas, locadoras de veículos e milhares de outros estabelecimentos comerciais no Brasil e no exterior, que promovem descontos incríveis por meio de planos com valores fixos.

Esse tipo de produto é interessante, pois o cliente tem assistência completa durante a viagem e ainda pode parcelar o pagamento durante 12 meses. A empresa contratada fica responsável por resolver problemas que possam aparecer em relação às reservas de hotéis e outros serviços oferecidos. Isso traz tranquilidade e segurança aos viajantes, que sabem que têm a garantia de encontrar uma boa hospedagem conforme o combinado. 

A estadia da sua família deve representar uma boa parte da atenção antes do embarque, pois fica difícil mudar de hospedagem quando o seu grupo já estiver no destino escolhido, caso encontrem algum problema. Pensando nisso, estabeleça padrões que vocês consideram aceitáveis nas habitações durante as férias.

Com essas preferências em mãos, procure hotéis que atendam a expectativa da sua família. Pesquise o estabelecimento e descubra qual é o espaço dos quartos, quantas camas existem, as amenidades à disposição (cafeteira, frigobar, ferro de passar roupa, secador de cabelos, televisão e sinal de internet).

Também faça uma inspeção, por meio das fotos do local e as opiniões de outros usuários, sobre quais são as condições do hotel nos quesitos:

  • localização;
  • acesso ao transporte público;
  • limpeza;
  • organização;
  • qualidade dos serviços prestados;
  • eficiência e cordialidade dos funcionários;
  • custo-benefício;
  • sinal do Wi-Fi; 
  • serviços disponíveis na região (restaurantes, bares, mercados, padarias, lavanderias, pontos turísticos, lojas e hospitais).

A categoria do hotel, ou seja, o número de estrelas que o estabelecimento tem, indica qual é o nível do padrão de atendimento daquela hospedagem. Quanto mais graduações, maior o luxo, conforto e opções de lazer.

Existem hotéis conhecidos como resorts, nos quais os hóspedes têm uma série de serviços à disposição, como traslados, alimentação, bebidas, entretenimento, atividades esportivas, aulas (mergulho, hidroginástica, academia, dança etc.), spa e empréstimos de equipamentos (pranchas, bolas, raquetes, bicicletas, patinetes motorizado). Essa opção é uma boa porque vocês chegam nas férias sabendo que não precisam gastar com mais nada.

Como conseguir os melhores preços em passagens?

Os preços dos bilhetes aéreos são definidos segundo as regras do mercado: oferta e demanda. Isso quer diz que os valores podem variar todos os dias, sendo possível encontrar diferenças grandes nas tarifas dentro de um espaço de poucas horas.

Para conseguir as melhores ofertas de passagens, basta seguir algumas sugestões simples, mas que vão trazer muita economia para as suas férias em família. Veja agora como aproveitar as oportunidades para viajar mais barato.

Escolha a baixa temporada

Os valores das passagens ficam mais altos quando um maior número de pessoas procuram por aquela rota. Isso ocorre pois o destino está no período em que recebe um grande número de turistas, chamado de alta temporada (feriados, férias escolares, finais de semana e eventos especiais). Nessas épocas, os voos, as hospedagens e os serviços de viagens estão com as suas capacidades no limite, então, devido à livre concorrência, os preços sobem.

Para contornar esse fato e economizar nas férias, escolha viajar durante a baixa temporada, que é quando um destino turístico tem o seu menor fluxo de visitantes. Como a procura diminui, as empresas aéreas, os hotéis e os prestadores de serviços de turismo acabam fazendo ótimas promoções.

Por exemplo: a alta temporada na Europa é entre a primavera e o verão (março a setembro). Os voos, as hospedagens, assim como as atrações das cidades estão com elevadas taxas de ocupação nessa época do ano. Contudo, é possível aproveitar muito bem o Velho Continente no outono (setembro a dezembro), quando os destinos estão mais vazios. Além do benefício econômico, a sua família poderá conhecer os principais pontos turísticos sem aquele tumulto de turistas, comum nos meses mais quentes.

Apesar de o destino estar na baixa temporada, não significa que as suas férias serão inferiores. Basta o roteiro do seu grupo ser pensado para as condições que serão encaradas. Em vez de visitar praias e outras atrações de verão, vocês devem procurar por programas em lugares fechados (museus, galerias, parques temáticos, teatros, casas de shows etc.) ou que tenham facilidade para se abrigar quando o clima não estiver ajudando.

Quando falamos de destinos dentro do Brasil, em que o clima é tropical e varia bastante em todas as estações e regiões, é possível fazer viagens na baixa temporada com tempo ensolarado e até com calor, como no litoral do Nordeste, em que os meses de junho a setembro são mais chuvosos.

Nos locais que têm as temperaturas baixas como atrativo, como são os casos das regiões serranas do Sul e do Sudeste do país, a alta temporada se inverte, ocorrendo entre os meses do inverno (junho a setembro).

Faça variações de trajetos e datas

Assim como as passagens aéreas ficam mais caras na alta temporada, outro fator que encarece ou barateia as viagens de avião é o dia, o horário e a rota escolhida. Jornadas que partem no final de semana tendem a ser mais caras em relação às que saem durante a semana. Quem escolhe horários alternativos para decolar, como durante a madrugada, tem chances maiores de conseguir bons descontos.

Com isso em mente, quem tem liberdade para variar a data e o horário dos voos, vai perceber que os valores cobrados em um mesmo percurso podem ter grandes variações para o embarque em um dia ou em outro. Por exemplo: enquanto um trecho custa R$1.000 para ida em uma sexta-feira e volta em um domingo, a mesma viagem com saída na segunda e retorno no sábado pode ter um valor bem menor.

A escolha do trajeto para chegar a um destino turístico também tem interferência no preço final da viagem. Os voos diretos, apesar de serem mais rápidos, costumam ter valores mais caros que as rotas com conexões, que são paradas que os viajantes têm que fazer no meio do caminho antes de seguir para o local escolhido para as férias.

As conexões podem ocorrer em aeronaves da mesma companhia ou nas empresas parceiras, que interligam milhares de cidades no mundo. Funciona assim: os passageiros embarcam em um voo, que vai até um segundo aeroporto. Depois de desembarcar dessa primeira da viagem, os clientes em conexão devem se dirigir a um novo avião, que vai completar a jornada.

Existem casos em que o trajeto tem duas ou mais conexões, o que reduz bastante os valores dos tíquetes de viagem. O problema desse tipo de rota é que os passageiros vão gastar muitas horas entre as cabines dos aviões e os saguões dos aeroportos. Por isso, estude bem a sua rota e tenha a certeza de que vale a pena perder alguns momentos de folga em nome da economia.

Como montar um roteiro para a viagem em família?

Como a intenção de viajar com a família é para passar bons momentos juntos, a montagem do roteiro das férias deve contemplar atividades para todas as faixas etárias do grupo. Isso porque pessoas diferentes têm expectativas distintas, que precisam ser respeitadas. Cabe ao organizador dos passeios a tarefa de escolher atrações que agradem a todos ou que tenham opções próximas umas das outras.

Um destino comum nas viagens familiares são os parques temáticos dos Estados Unidos. O pessoal jovem adora os brinquedos radicais e os jogos eletrônicos, porém, os mais velhos do grupo preferem passar horas mais calmas, sem grandes deslocamentos e com atividades moderadas.

Pensando nisso, os momentos de lazer devem ser aproveitados onde exista uma boa variedade de atrações, espaços com temas diferentes, além de áreas de descanso e alimentação com fácil acesso.

Faça deslocamentos curtos

Quando a viagem em família inclui diversos destinos, é preciso ter bastante cuidado com os deslocamentos. Afinal, ninguém quer passar a maior parte do tempo das férias preso em aviões, carros, trens ou ônibus. Para ter uma viagem otimizada e bem proveitosa, procure organizar uma rota lógica para a jornada, com traslados que demorem, no máximo, até quatro horas.

Por exemplo: a família quer visitar algumas cidades do leste europeu. Um trajeto eficiente seria começar a jornada na cidade húngara de Budapeste, para depois seguir para a Bratislava (Eslováquia), Praga (República Tcheca) e Berlim (Alemanha). Todos esses destinos estão em ordem sequencial, indo do sul ao norte da Europa, e as distâncias podem ser cobertas em poucas horas caso a rota inclua essas paradas.

Não adianta nada, imaginando outra rota, ir até Manaus para depois voar para conhecer São Paulo e voltar para visitar Belém, no Pará. Só o tempo dentro do avião já vai tomar, ao menos, três dias da viagem, tornando a rota ineficiente.

Também é importante limitar o número de destinos, porque não vale a pena se deslocar de uma cidade a outra todos os dias. Afinal, isso demanda um tempo de preparação, como arrumar as malas e tomar o rumo da próxima parada. Quando chegar no novo hotel, será mais um período para se alojar até começar a aproveitar de verdade o lugar. Isso reduz de forma drástica as possibilidades de curtir ao máximo a visita.

Em uma viagem de 15 dias, para dar uma ideia, o recomendado é ficar de três a cinco dias em cada cidade. Organize o roteiro da família dando mais espaço para os destinos que têm o maior número de atrações. Ficar mais tempo em um local revela detalhes incríveis, que uma visita apressada impede.

Como se preparar para emergências ao viajar com a família?

Ao viajar, você está exposto às mais diversas condições, e é possível que alguma emergência aconteça. Perto de casa essas ocasiões já não são simples de lidar, imagine durante uma viagem em família?

Entre todos os problemas que podem ter que ser enfrentados, as questões relacionadas à saúde são as que mais preocupam. Como agir em caso de um acidente, por mais comum que seja, em outro país, por exemplo? Para esses casos, o recomendado é fazer um seguro de viagem, que garante tranquilidade para aproveitar as suas férias em qualquer parte do mundo.

As empresas que comercializam esses produtos oferecem configurações de seguros em diversas categorias, com as mais complexas coberturas com médicos e hospitais, despesas odontológicas, extravio de bagagem e até invalidez ou morte. Contrate o serviço que melhor atende às suas expectativas e fique protegido durante a aventura com as pessoas que você mais ama.

Viajar com a família é daquelas experiências marcantes da vida, pois a felicidade só é completa quando é compartilhada. Então, use as sugestões deste post e embarque rumo às melhores férias das suas vidas.

Já quer colocar as dicas em prática? Então, confira 5 destinos no exterior para viajar com a família!

 

,