30/11/2018

Saiba aqui como fugir dos juros altos ao comprar bens

Seja para a compra do carro, do imóvel ou para a realização dos sonhos, é fato que ninguém deseja gastar mais do que o necessário. E isso significa aprender a investir com sabedoria, por meio de organização e planejamento, fugindo dos juros altos e garantindo as melhores negociações.

Para ajudar você nessa jornada, elaboramos este artigo com boas práticas e dicas de ouro a fim de assegurar as melhores oportunidades e o máximo de aproveitamento do seu dinheiro. Continue a leitura e descubra!

Organize as finanças e quite as dívidas

O primeiro passo para investir com sabedoria e fugir dos juros é a promoção da sua saúde financeira. Isso significa organizar as finanças e adquirir um hábito essencial para quem deseja conquistar ou ampliar o patrimônio: poupar.

Conhecer a própria realidade econômica ajuda a entender quais passos devem ser dados a fim de garantir um futuro melhor para si. Saiba quais são as principais entradas e saídas de dinheiro, estabeleça tetos de gasto, considere possibilidades para aumentar a renda e/ou diminuir os custos desnecessários.

Tem dívidas (cheque especial, cartão de crédito, empréstimos)? Hora de negociar e providenciar os pagamentos. Isso porque os juros cobrados acabam consumindo sua renda, além de causarem estresses. Pode ser doloroso, a princípio, constatar as falhas. Porém, ao corrigi-las e deixar suas contas no azul, você verá como é satisfatório ter o controle total sobre os seus ganhos e fazer o dinheiro começar a trabalhar por você.

Estabeleça metas e defina objetivos

Cada pessoa tem obrigações e vontades, dependendo do estilo de vida, dos sonhos e planos. Organizá-los é uma maneira inteligente de alcançá-los. Monte uma lista de prioridades incluindo os investimentos que deseja realizar: comprar ou trocar de carro, viagens anuais, festa de casamento, casa própria, segunda residência.

Quais são os mais importantes? O que pode ser deixado para adiante? Definir prioridades ajuda a enxergar melhor os horizontes envolvidos nos gastos, e saber como economizar é um passo essencial para conquistas maiores e melhores.

Estipule um orçamento para cada compra

Saber quanto se pode gastar em cada investimento é primordial. Sem esse dado fica praticamente impossível definir parâmetros para a busca de oportunidades. O valor de um carro, por exemplo, pode variar entre R$ 28 mil e R$ 40 milhões.

O que vai definir modelos e marcas é a quantidade de recursos que você tem disponível para a negociação, somado às suas preferências e ao seu perfil.

O orçamento faz com que você também tenha a percepção do seu poder de compra atual e de como esse investimento afeta suas finanças. Ou seja, possibilita sonhar com os pés no chão para evitar dívidas ou frustrações.

Estude as possibilidades de parcelamento

O parcelamento não indica, obrigatoriamente, a necessidade de financiar a compra de um bem. Dependendo do produto ou serviço em questão é possível analisar outros formatos para descobrir o mais vantajoso para a aquisição.

Você pode parcelar usando, por exemplo, o cartão de crédito, parcelando junto ao vendedor (carnês), por meio do leasing, integrando um grupo de consórcio, fazendo um empréstimo. Tudo vai depender do valor do bem, das condições do parcelamento, da sua capacidade de arcar com a mensalidade, os juros e as taxas (voltaremos a esse último tema no próximo tópico).

Para quem não tem muita familiaridade com os números, o melhor é elaborar uma planilha, indicando o valor à vista, o custo final parcelado, a quantidade de parcelas, o valor das parcelas e a diferença entre o que seria pago à vista e parcelado. Assim, você tem uma visão objetiva e prática das opções.

Pesquise e compare para fugir dos juros altos

Diferentes instituições financeiras têm taxas de juros variadas. Cabe a você, consumidor, pesquisar bastante antes de eleger a proposta, buscando aquela mais atraente. Para compras parceladas — nosso foco neste artigo — é preciso estar atento ao cálculo dos juros e como eles afetam os pagamentos (e não apenas as primeiras mensalidades).

No caso dos financiamentos, para se ter uma ideia, temos duas modalidades principais. No sistema SAC (Sistema de Amortização Constante), os valores pagos por mês diminuem com o tempo, mas ao usar a tabela Price, eles se mantêm. Só que os juros da Price tendem a ser mais altos.

O que definirá a melhor oportunidade, no que diz respeito a fugir dos juros, é saber a diferença no montante final pago. Quanto maior o valor ao final do financiamento, maiores as taxas pagas à instituição.

Conheça o leasing

Sabe o que é o leasing, ou arrendamento mercantil? De forma simples, ele é uma espécie de locação com possibilidade de compra ao fim do ciclo de pagamento. Ele é usado especialmente na aquisição de automóveis, mas pode ser usado para bens imóveis (casas e apartamentos).

A operação tem características legais próprias, então é interessante consultar um advogado para entender melhor sobre o seu funcionamento antes de assinar o contrato. Entre elas podemos destacar uma que se assemelha bastante ao sistema de consórcio, o pagamento de uma garantia (VRG — Valor Residual Garantido) para o caso de inadimplência.

Opte por um consórcio

Se o seu objetivo é comprar sem juros, por meio do parcelamento, esta dica é para você. Isso porque nos consórcios não há incidência de juros no contrato. O que existe é uma taxa de administração (para a instituição responsável pelo grupo), um fundo para garantir o funcionamento do grupo nos casos de inadimplência — como o VRG do leasing — e os reajustes anuais que garantem o poder de compra dos participantes (INCC, CUB, IGP-M, ou INPC). Em alguns contratos pode ser necessária a contratação de um seguro, algo a se verificar com a administradora.

A participação no grupo também é bastante simples: o interessado busca um grupo cujo valor total e parcelamento se encaixam nas suas possibilidades e adquire uma cota. A partir daí ele se compromete em quitar as mensalidades e participar das assembleias, em que são sorteados os contemplados.

Um detalhe que merece a atenção é que ao usar o consórcio, o participante, ao ser contemplado, tem acesso a uma carta de crédito para adquirir o bem, que funciona como uma compra à vista.

Dessa forma você consegue ter os benefícios de ambos os mundos: a facilidade do parcelamento com o poder de negociação de quem compra à vista. E o melhor, trabalhando com o seu dinheiro, em vez de pegar emprestado com uma instituição financeira.

Gostou de saber como fugir dos juros altos para adquirir bens móveis e imóveis? Esperamos que sim. Agora, é hora de colocar esse conhecimento em prática, planejando as próximas aquisições com o máximo de economia. 

Quer ter acesso a outras dicas e novidades para ajudar a melhorar a sua qualidade de vida, aprendendo a usar e investir seu dinheiro? Siga as nossas redes sociais: estamos no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube!